Páginas

segunda-feira, 16 de março de 2015

ENTREVISTA - Disforme (DF)

Se tem algo que nos deixa contentes é quando bandas boas voltam! É o caso do Disforme de Brasília (DF), que após alguns anos inativos, resolveu voltar e com novidades. Confira a entrevista que fizemos com o Roberto, guitarrista da banda, que nos falou sobre a retomada das atividades, ideologia, planos de lançamentos e ainda indicou bandas pra gente conhecer. 


SCUM - O Disforme começou suas atividades em 2005. Conte como foi o começo da banda.

DISFORME: 
Em 2005 a Tainara teve a idéia de formar a banda junto com o Marcelo e o Petrônio. Convidaram o Rodrigo para guitarra e pouco tempo depois o Danilo assumiu seu posto ainda em 2005. A banda gravou uma demo com essa formação e em março de 2006 o Negrete substituiu o Danilo que saiu da banda para se dedicar aos estudos.

SCUM - 
Em 2010 vocês encerraram as atividades que foram retomadas em 2014. Qual foi o motivo para o término? E a retomada?

DISFORME: 
A gente precisou dar um tempo, Tainara estava cansada e o Petrônio precisou de um tempo para se dedicar a vida pessoal. No ano de 2010 mesmo, Negrete e Marcelo até tentaram prosseguir sem a Tainara e o Petrônico, mas não deu certo e enterraram a banda no final de 2010.

SCUM - 
Na última semana observamos muitas pessoas compartilhando a música '64 Nunca Mais' de vocês no Twitter e Facebook, em resposta ao conclame da intervenção militar e a (praticamente) convocação da Globo e Folha de São Paulo para que as 'pessoas de bem' fossem às ruas lutar contra a corrupção. Qual é o posicionamento ideológico da banda?
DISFORME: 
A banda, desde o começo, declaradamente assumiu uma posição ideológica de esquerda. Somos totalmente contra a politica opressora da direita. É um absurdo essas manifestações pró-ditadura, essas pessoas só podem estar hipnotizadas pelo plin plin. Que loucura tudo isso! Esse pessoal quer ditadura militar, né? Na favela tem intervenção militar todo dia, pergunta pra essa galera se eles querem morar lá? Marcha contra a corrupção? Todo mundo lindx, com a camisa da CBF. Seria cômico se não fosse tão trágico. 



SCUM - Recentemente vocês anunciaram que lançarão um CD Split com a banda Manger Cadavre? do interior de São Paulo. Como surgiu a ideia do Split? Quando ele será lançado? Haverá uma tour para lançamento? 

DISFORME: Conhecemos o Manger na internet, achamos a banda muito agressiva, com vocal feminino, tudo que gostamos. Logo nós procuramos saber quem eram xs integrantes da banda. Conhecemos a Nata que já tinha ouvido nosso trabalho e aí surgiu uma grande amizade além da idéia do split. O split nada mais é que a consolidação de um material de duas bandas que se identificam muito ideologicamente e que se tornaram amigas. Faremos apresentações junto com a Manger Cadavre? e queremos trazer eles pra tocar em Brasília de forma totalmente independente, sem pedir ajuda pra secretária da cultura. Faremos tudo realmente DIY.
SCUM - 
Quais são as dificuldades encontradas por vocês no atual cenário underground?
DISFORME: 
Nossa maior dificuldade atualmente é encontrar um tempo pra dedicar a banda. Esse mês íamos comemorar 10 anos de banda, com um evento simples com uma ou duas bandas de abertura, mas pela falta de tempo e o envolvimento com a gravação, faremos esse som até dezembro (se der!). 

SCUM - 
Como é de praxe em nosso blog, indique 3 bandas independentes nacionais que vocês realmente ouçam.

DISFORME: 
Difícil hêin... Mas vamos lá: Signo XIII, Entre Os Dentes e Ímpeto.

SCUM - 
Obrigado pela atenção e esse espaço é de vocês. Usem como quiserem.

DISFORME: 
Valeu pela entrevista. A gente é meio empenadx pra responder essas coisas, mas o recado é que logo menos o split com a Manger Cadavre? estará circulando pelas distros nas banquinhas mais obscuras do hardcore/punk.

Mais sobre a banda:

https://www.facebook.com/oficialdisforme

http://disforme.bandcamp.com
/
https://twitter.com/DisformeDF
https://instagram.com/disforme64/