Páginas

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

ENTREVISTA: Facada

Quando se pensa em grindcore nacional, é impossível não lembrar do Facada. Ativa desde 2003, com um som pesado e sem frescuras, a banda é uma das referências em som extremo do nordeste brasileiro. Confiram a entrevista com os caras. 



SCUM - Fale um pouco sobre o início da banda e quais as principais dificuldades enfrentadas por vocês.
A banda começou em 2003 comigo (james), ari e dangelo. temos 1 demo, 3 discos, alguns shows nas costas e desde lá a gente toca grindcore. A formação hoje é james, david na bateria e danyel e ari nas guitarras. Não lembro de nenhuma dificuldade específica relacionada ao facada, acho que mais coisas de dia a dia mesmo: horários, agendas, perna quebrada...

SCUM- O nordeste é muito rico em relação a música extrema. Indique três bandas da região que vocês gostem.
Eu vou tá sendo muito injusto se escolher só 3, pois a cena nordestina é muito boa e variada. Muita gente fazendo música de qualidade. Vou escolher 3 bandas mortas, pra me redimir: feculent goretomb, nephastus e the cross.

SCUM - Há um rumor que vocês farão uma tour pelo sudeste. Confirma? Se sim, quais serão as cidades contempladas?
Estamos organizando umas datas, mas estamos finalizando as músicas dos materiais que estão pra sair aí acho que por enquanto pelo menos no primeiro semestre vamos se concentrar nisso. Tem umas datas marcadas, mas não quero confirmar nada ainda.




SCUM 
- "Nadir" já é considerado um clássico do grindcore brasileiro. Fale um pouco sobre o processo de composição e as letras.
Valeu, que bom que gostou. Gravaçao é sempre um pouco complicada, porque o Ari quando vem aqui, ensaia c/ o Dangelo e grava logo, depois a gente grava nossa parte aqui, eu e o Danyel. Depois junta tudo pra mixar. Essa peculiaridade de espaço/tempo é que demanda um pouco mais de tempo. Nadir vem do árabe e é uma alusão ao ponto mais baixo. Muitos autores usam como analogia ao mais negativo, ao cume da inferioridade que uma pessoa possa chegar. Esse é o significado. Tentamos cômpor o disco com essa vibe positiva nas letras e composições.

SCUM 
- Quais são os planos para o futuro?
A gente tem 2 splits e um só de covers pra terminar, este é o plano agora. O Indigesto e O Joio vão ser relançados e temos uns shows pra fazer.

SCUM - Obrigado pela entrevista. Esse espaço é de vocês. Usem como quiserem.
Agradeço a entrevista, procurem facadanagoela na internet e valeu a todo mundo que curte a banda e nos apóia.